14,228 visualizações,  46 hoje

Hoje trago aqui mais um dos personagens que habitam o Planalto de Lisid, em especial, um cientista.

Se você não leu o texto introdutório de As lendas de Ayaerth, recomendo fazê-lo aqui para entender um pouco do mundo que Albieri vive.


Dr. Albieri

Albieri nasceu em uma noite chuvosa na casa de seus pais. Com a ajuda de uma parteira, seu pai e mãe trabalharam no parto e Albieri nasceu forte e com saúde.

Força e saúde era tudo que uma família pobre da periferia precisava. Conforme a ferraria de seu pai tinha força para se manter, de tempos em tempos os ajudantes deixavam o trabalho para uma oportunidade melhor. Um filho foi o que ajudou o pai a manter a ferraria funcionando.

Anos depois, quando o segundo irmão (Mathias) nasceu e cresceu, a ponto de ajudar na ferraria, Albieri começou a ganhar atribuições mais importantes, que é o que trouxe à tona um dos segredos do seu pai.

— Albieri, — falava o pai, com sua voz rouca, mostrando que a idade já estava lhe consumindo. — Eu hoje vou te mostrar um dos meus segredos. Um que não conto para ninguém. Para mim, o conhecimento é a coisa mais importante que podemos guardar.

Depois de falar isso, o pai abriu uma porta secreta nos fundos da ferraria e mostrou uma pequena sala de ofício secreta. Ali não era só martelo contra a bigorna. Ali lidavam com pequenos pedaços de materiais desconhecidos que seu pai comprava ou capturava quando podia.

Depois daquele dia, Albieri dedicou sua vida a ir para aquela sala e passar horas lendo os velhos livros do pai, e de tempos em tempos, tentava alguma das fórmulas descritas lá. Em pouco tempo já criava pequenas lanternas e dispositivos que armazenavam pequenas mensagens.

Entretanto, nem tudo na vida são flores. Certo dia, Albieri cruzou a linha do seu conhecimento e tentou moldar uma pedra azul brilhante que encontrou em um baú de seu pai, descrito em um livro como Nióbio. Quando a ele acertou a primeira martelada na pedra, ela explodiu e queimou metade do corpo de Albieri. Além disso, o gás que Albieri respirou afetou seu cérebro. E daí em diante, ele demorou muitos anos para voltar à forja.

O tempo passou e Albieri casou-se com Araluna, uma elfa nascida em berço de ouro. Com o tempo, seu irmão mais novo também casou-se e teve filhos, dois gêmeos. Albieri teve a oportunidade de ser padrinho de um dos filhos do irmão. Depois de anos convivendo com o rapaz, o mesmo veio a falecer de Varíola.

As sombras voltaram mais uma vez a tomar conta do coração de Albieri, e dessa vez, ele foi salvo pela esposa, que não aguentava mais ver seu amado triste.

— Vamos, Albieri! Essa é a hora. Temos dinheiro e você é tão interessado em estudar. Que tal ir estudar com profissionais mais especializados. Fazer algo da sua vida.

Em um surto de esperança, Albieri resolveu aceitar as sugestões da esposa. Os dois se mudaram para Cuoro Città — capital do império — e Albieri ingressou na Escola Erudita, e em pouco tempo, tornou-se um artífice respeitado por todo o vale de Lisid.

Uma vez estudando, Albieri tinha acesso a todo tipo de informação, desde a construção básica de dispositivos mágicos até magia avançada. Mas não eram os livros da academia que encantavam Albieri, mas sim, os livros de seu pai. 

Depois de aprender glifos, runas e todo tipo de linguagem mágica, Albieri voltou a estudar os antigos livros do falecido pai. Lá havia muita coisa das quais um pesquisador não poderia deixar passar. Segredos dos multiversos e magias normalmente desconhecidas pelos estudiosos mundanos.

Albieri estudou por anos uma maneira de ressuscitar ou clonar seu afilhado, mas desistiu depois de pensar que essa ideia poderia trazer transtornos à família e à sua reputação. Então resolveu se tornar professor, o que lhe deu o título: Dr. Albieri.

Nos dias de hoje Albieri leciona para seus alunos e vive uma vida modesta com sua esposa. E existe uma coisa importante na vida de Albieri que todo mundo sabe, menos ele (ou ao menos não quer ver). Sua esposa Araluna começou a ficar viciada em jogos de cartas e dados e a fortuna da família começou a diminuir.

Além de lecionar iniciou uma linha de pesquisa pessoal, que se tratava de moldar o Nióbio, feito que não conseguiu no passado e levou à grande queimadura em seu corpo. Entretanto, agora Albieri tinha muito mais conhecimento do que naquela época. Com seu martelo encantado, Albieri estava prestes a realizar o maior feito de sua vida: a Armadura de Nióbio.

Niobe Armor – Versão Improvisada

Quando a vida de Albieri voltou a se tornar estável, chegou a hora de voltar aos estudos antigos. A primeira coisa que tentou foi voltar à velha pedrita de nióbio de seu pai. A mesma que havia lhe queimado o corpo inteiro.

Na primeira tentativa, Albieri tentou usar um escudo de corpo para protegê-lo de uma nova eventual explosão. E também usou uma máscara de gás, para não voltar a respirar o gás resultante da explosão. Na primeira martelada teve o mesmo efeito. A explosão acertou o escudo e o arremessou para o outro lado da oficina. Albieri ficou tempo deitado lá pensando em como teve sorte de não ter despedaçado o corpo inteiro quando era criança.

Conformado que não poderia modelar o material dessa maneira, Albieri procurou na magia uma maneira de absorver a explosão. Com ajuda de outros Eruditas, construíram um martelo com filamentos de ouro e prata, nos quais a magia – ou a energia – poderia circular livremente. Com ajuda de runas e outros feitiços, o martelo se tornou a ferramenta perfeita para sua oficina.

Usou o novo martelo para construir uma nova armadura, a qual usaria para se proteger de uma nova eventual explosão. A armadura possuía diversos mecanismos mecânicos e protegia quase o corpo inteiro. Ele também equipou com uma máscara retrátil, que protegeria a respiração e os olhos.

Para uma nova experiência, Albieri conectou diversos fios em sua armadura e aterrou do lado de fora de sua oficinal. Dessa maneira, o martelo converteria a energia da explosão em energia elétrica, desviando ela para a terra.

Na primeira martelada que acertou o nióbio com sua nova armadura e martelo, um arco elétrico iluminou toda a oficina e a energia foi desviada pelos fios elétricos. Com uma medição, Albieri conseguiu entender que a martelada havia moldado levemente a pedra.

Depois de uma semana de trabalho, com a oficina parecendo uma tempestade de tantos raios que saíam lá de dentro, Albieri conseguiu transformar a pedra de nióbio em uma barra perfeitamente quadrada. Entretanto, havia um pensamento que não deixava sua cabeça: o que vou fazer com isso?

Albieri começou a realizar estudos mais complexos com o nióbio, então ele entendeu que o material tinha a propriedade mágica de ampliar a energia em quase um milhão de vezes, por isso suas marteladas causavam uma explosão tão forte. Albieri então utilizou o material para melhorar sua armadura. Com cada fragmento que conseguia remover do nióbio, ele batia contra ele até criar pequenos filamentos e os utilizava para criar fluxos de energia dentro da armadura. Com uso de tanta energia, ele conseguiu automatizar algumas funções. Criou um canhão de energia sobre seu ombro e um bracelete que disparava raios ao acertar objetos ou criaturas.

Quando a armadura ficou pronta, ela se tornou um catalisador perfeito para magia, de maneira que Albieri começou a integrar com os truques que conhecia, como absorver elementos, que era capaz de absorver fogo e outros elementos, armazenava a energia em um capacitor e o dava a capacidade de utilizar esse energia através da torreta.

Albieri sentiu satisfeito por ter completado um dos objetivos de sua vida, mas algo coçava em sua alma. Ele não podia parar por ali.

Niobe Armor mk2 – Full Plate

A criação da armadura tornou Albieri um engenheiro renomado na Escola Erudita e por todo o Império de Lisid. Tanto que outros Artífices usaram a mesma pesquisa para criar outras engenhocas, como catapultas iônicas, armas com disparo elétrico e outros mais. Entretanto, Nióbio era um material escasso e logo a briga pelo material começou criar uma alta tensão entre os engenheiros.

Quando o material ficou indisponível no mercado, Albieri já estava pensando se poderia minerá-lo, mas nem mesmo os Anões de Amon Drathur conheciam tal mineral, o que fez com que todos pensassem que talvez o material viesse do espaço. Então foi a hora de melhorar sua armadura para os próximos anos de missão.

Albieri transformou alguns elementos de sua armadura, dando mais proteção para o corpo. Infusionou diversas partes com diferentes magias e apetrechos, e o melhor deles, foram as botas que davam à armadura a capacidade de voar. Daquele dia em diante, Albieri começou a voar por regiões desconhecidas procurando por possíveis zonas de impacto de meteoros.

Niobe Armor mk3 – Perfect Armor

Albieri sobrevoou todo o planalto de Lisid diversas vezes e não encontrou nenhum sinal de um possível meteoro. Suas pesquisas tiveram mais sucesso ao norte de Amon Drathur, entre as Gelerais Eternas e as Terras de Fogo.

Estudando uma região coberta de neve, Albieri detectou que por baixo da neve havia uma cratera. Depois de meses derretendo o gelo e lutando contra o frio, ele encontrou o que tanto procurava, uma pedra de nióbio cinco vezes maior que a que seu pai possuía.

Depois de mais meses de trabalho em sua oficina – com muitos raios e marteladas que escoavam como trovões — Albieri conseguiu dividir a nova pedra em cinco blocos perfeitamente quadrados.

Uma dela ele usou para terminar sua armadura, criando uma versão perfeita. Totalmente reforçada magicamente, a nova versão era completamente mecanizada, voava e era quase impenetrável.

Os outros quatro blocos Albieri escondeu em quatro lugares diferentes, muito seguros. Ele tinha planos para cada uma delas.

Albieri nos dias de hoje

Anos depois de encontrar a nova pedra de nióbio – devidamente escondida dos outros pesquisadores – Albieri continuou com sua vida como professor na Escola Erudita e se dedicou um pouco mais à sua família.

Albieri e Araluna adotaram uma criança humana de sete anos e hoje criam como filhos. Muitas pessoas fofocavam aqui e ali quem era aquela criança e porque Albieri preferiu adotar a ter um filho com sua esposa.

Araluna continua viciada em jogos, e se Albieri sabe ou não, já não importa mais. A esposa já não tem mais tanto dinheiro da sua herança e o salário de professor não é lá grandes coisas.

Em um canto de sua oficina pessoal, há uma pequena prateleira com um livro que era de seu pai, que com uma pequena puxada abre um alçapão secreto no chão que dá acesso para um dos laboratórios secretos de Albieri. Lá dentro, um dos blocos de nióbio transforma energia solar em elétrica e alimenta uma dezena de equipamentos que ninguém sabe direito o que faz.

O que Albieri faz dentro do laboratório secreto ninguém sabe, mas há apenas uma certeza, que a criação de uma vida não é um poder exclusivo dos deuses.


Notas do Autor

Como todos os NPCs de minhas aventuras, Dr. Albieri possui uma ficha de personagem no sistema D&D 5. Em especial, apesar dele fazer parte de As Lendas de Ayaerth, eu estou jogando com ele em um servidor de RPG, os Desbravadores.

Em termos técnicos, Albieri é um Artífice, classe ova introduzida no Caldeirão de Tasha e tudo mais. É uma classe muito divertida e bem versátil. A história do Albieri segue a subclasse do Armorer, que é focado na construção e evolução da armadura. Ele pode, com uma martelada, transformar a armadura no modo Tank ou no modo Infiltrador. No modo infiltrador, para ter uma ideia, mesmo a armadura sendo uma full-plate, você pode usar ela para tarefas que envolva furtividade pois você perde a desvantagem de armaduras pesadas nesse modo.

Leia Também: Kethra Marivaldi – A Espada da Vingança


Compre Aurora Estelar, um romance de Fantasia Espacial de D. R. Laucsenhttps://eb4.co/8e23853b

Ano 856 DAE (Depois da Aurora Espacial).

Logo após herdar uma nave espacial de seu falecido marido, a Victory S.A, em nome da Sociedade Aurora, Shakir Adur’hal parte para sua primeira missão nas fronteiras da civilização.

Tímida e com dificuldades de de se comunicar, Shakir tem uma vida difícil ao tentar manter o controle e a moral da tripulação da sua nave, que é uma das mais importantes e bem equipada do universo. Ao seu favor, ela conta com a ajuda do primeiro tenente, veterano de guerra e velho companheiro de seu marido.

Juntos partem com a missão de desmantelar uma rebelião em um planeta distante do centro da civilização, onde Shakir não só enfrentará mentiras e a lábia dos Presidentes locais, como também a traição e deslealdade de seus próprios Soldados.

Estará ela disposta sair da zona de conforto e quebrar as paredes de suas dificuldades e se tornar a verdadeira capitã da Victory S.A?